Blog

Conheça as principais tendências de patrocínio de projetos em empresas nos EUA

Conheça as principais tendências de patrocínio de projetos em empresas nos EUA

 

O crescimento dos patrocínios cultural e esportivo é uma tendência global — inclusive, entre as empresas dos EUA. Em 2009, foram investidos 16,5 bilhões de dólares em patrocínios na América do Norte. Para 2018, a previsão é de 24,2 bilhões — um crescimento de 47% em 10 anos.

A tendência animadora está ligada aos bons resultados. Para tanto, os empreendimentos norte-americanos procuram valores específicos antes de destinar os recursos. Além de buscarem iniciativas que se assemelham à imagem do negócio, as empresas se interessam por efeitos práticos e que geram novas oportunidades. Nesse sentido, as brasileiras podem se inspirar e usar parâmetros similares para direcionar o dinheiro.

Pensando nisso, continue a leitura para compreender quais são as principais tendências de patrocínios de projetos nos EUA e descobrir como aproveitar as possibilidades!

Contrapartidas diferenciadas

O mercado é bilionário, mas também é disputado e exige planejamento. Os empreendimentos dos EUA já não se satisfazem com exposição de marca ou aumento do reconhecimento do negócio. Por isso, a tendência vem pela busca de contrapartidas cada vez melhores, direcionadas e alinhadas com os objetivos estratégicos.

Entre os pontos que merecem atenção, estão:

  • reforço e/ou diferenciação de mercado;
  • ampliação da fidelização e lealdade de marca;
  • estímulo a vendas ou testes de produto;
  • fortalecimento da Responsabilidade Social Corporativa (RSC);
  • direcionamento de tráfego/público;
  • coleta de dados — que podem ser utilizados para branding experimental e assim por diante.

A Austin Energy, atuante no Texas, é um bom exemplo, já que fechou uma improvável parceria com o grupo de dança Forklift Danceworks e com a Austin Symphony. Então, a empresa patrocinou o PowerUP, um evento gratuito de apresentações artísticas. Além de aumentar o alcance de marca e a Responsabilidade Social Corporativa, esse foi um jeito de estimular o endomarketing, tendo em vista que os técnicos e outros funcionários foram incentivados a participar.

Acompanhamento de ROI e ROO

Além de escolher corretamente o projeto a ser patrocinado, existe uma tendência cada vez mais forte quanto à mensuração dos resultados. As empresas dos EUA têm se preocupado com o acompanhamento dos retornos sobre investimento (ROI) e sobre objetivos (ROO).

De forma simples, o ROI consiste na divisão entre os lucros obtidos com o patrocínio e o valor do investimento. No entanto, não é tão fácil mensurar quais foram os impactos financeiros exclusivos do apoio cultural. Por isso, o ROO é muito utilizado. Ele serve para identificar o alcance de certas metas estratégicas e auxilia a definir o nível de sucesso da ação.

Nesse quesito, também é esperado que os proponentes ajudem na etapa. Por meio do acesso a informações do público ou pelo acompanhamento de certas mídias é possível identificar o alcance de objetivos.

De acordo com um estudo, um dos patrocinadores da NASCAR aproveitou um aumento de 21% no engajamento com a marca após o evento. Com a medição do ROO, é mais fácil prever as próximas ações.

Criação de experiências imersivas

Para obter as contrapartidas desejadas e o melhor desempenho possível, as empresas dos EUA têm se preocupado com a proposta de forma completa. Não basta que o evento ou a realização atinja o público esperado. É preciso criar ativações completas e que permitam que os clientes interajam de uma forma única.

No The Governors Ball Music Festival, a Fujifilm criou uma experiência inovadora. A marca elaborou uma área com suas famosas câmeras instantâneas para que as pessoas pudessem tirar fotos, que foram reveladas na hora. As imagens eram levadas para casa ou pregadas em uma grande moldura colocada no ambiente do festival. Isso aumentou o engajamento e ajudou a trazer boas experiências.

Presença dos influenciadores e criadores de conteúdo

Com milhares de criadores capazes de se transformarem em promotores da marca, uma das tendências consiste em envolver patrocínio e participação de quem cria conteúdo para o ambiente digital.

Desse modo, as ações ajudam a aumentar o alcance, além de direcionar a abordagem para um público segmentado. Para completar, é um modo de colher frutos de maneira contínua, mesmo após a realização.

Um exemplo é o Tribeca Film Festival. A edição de 2017 contou com um reforço de um time de 14 influenciadores, os quais desenvolveram uma estratégia de promoção. Além da participação no Twitter, o buzz se espalhou por outros meios, como Instagram e sites de notícia. Assim, o evento ganhou mais projeção.

Estar por dentro das tendências de patrocínio das empresas dos EUA é essencial para que as brasileiras se inspirem. Além de reconhecer a importância das contrapartidas, avalie as qualidades de cada realização e o alinhamento com o negócio para definir a melhor maneira de obter bons resultados!

O apoio de uma consultoria de patrocínios também é muito importante. Entre em contato com a Arte em Curso e veja como podemos ajudar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos te ajudar?