Blog

Como definir políticas culturais para minha empresa? Entenda!

Como definir políticas culturais para minha empresa? Entenda!

Criar e manter políticas culturais consistentes é fundamental para ter sucesso com o marketing cultural. Ao definir como os investimentos devem acontecer, há maior retorno sobre esse direcionamento de recursos.

Acima de tudo, utilizar essa política traz responsabilidade, visibilidade e profissionalização. A empresa sabe exatamente para onde o dinheiro vai, quais são os objetivos e como conseguir melhores efeitos. Ou seja, com uma definição cuidadosa, é ainda mais vantajoso realizar o patrocínio de projetos diversos.

Para que não restem dúvidas, veja como as políticas culturais devem ser elaboradas para que tenham os melhores efeitos!

Identifique os objetivos da organização

Para investir corretamente em projetos culturais, não basta escolher as proposições com maior apelo de mercado. Selecionar um patrocínio apenas pela exposição que ele pode gerar, por exemplo, não é a melhor saída.

É preciso que o marketing cultural seja eficiente para atender a propósitos variados do empreendimento, dessa forma, as políticas culturais devem partir dos objetivos da empresa.

Compreenda quais são os principais valores, a cultura organizacional e o que o negócio busca consolidar. Se a expectativa é reposicionar a marca, por exemplo, é preciso patrocinar projetos condizentes com a nova imagem desejada. Já quando a intenção é aumentar a responsabilidade social, os impactos são muito mais relevantes que o alcance.

O importante é descobrir e pontuar as expectativas. É possível definir um conjunto de interesses para o marketing cultural e cada grupo pode corresponder a um tipo de realização. Além do marketing cultural, há também o marketing esportivo, por exemplo, que pode servir para gerar maior engajamento e transmitir valores relacionados a saúde, bem-estar e vida sustentável. Já projetos, culturais ou esportivos, voltados para as ações locais fortalecem o contato com a comunidade e o posicionamento na área de atuação.

Conheça muito bem o público-alvo

Como em qualquer ação de comunicação, é fundamental que os patrocínios sejam orientados para o público-alvo certo. Não adianta patrocinar um festival de música, se os presentes não se relacionam com o mercado que é alvo do negócio. Conhecer o interlocutor, portanto, faz toda a diferença.

Ao definir as políticas culturais para a empresa, descubra quem são as pessoas que você deseja atingir. Considere alguns aspectos relevantes, como:

  • idade;
  • localização;
  • faixa de renda;
  • interesses;
  • necessidades;
  • hábitos de consumo e assim por diante.

Não faz sentido que uma marca de cerveja patrocine um festival infantil, por exemplo. Por outro lado, é adequado que o empreendimento busque projetos culturais voltados para os consumidores de seus produtos. A comunicação, então, ficará alinhada e muito mais eficiente.

Dedique-se a estudar as pessoas que você deseja atingir, pois isso facilitará a escolha de quais são os projetos adequados para os interesses e objetivos do empreendimento.

Defina quais serão as cotas de patrocínio

Uma das grandes vantagens de recorrer ao marketing cultural é que dá para utilizar as leis de incentivo fiscal para obter todos os benefícios. Por meio desses mecanismos, é possível abater parte dos impostos municipais, estaduais ou federais e, ainda, colher os frutos desse investimento sem custos para a empresa.

Para consolidar o máximo aproveitamento, as políticas culturais devem incluir cotas de patrocínio variadas. Esses valores servem para especificar o limite a ser investido em cada realização, de modo a distribuir melhor o total.

Imagine uma empresa que paga R$ 10 milhões de Imposto de Renda e que decide utilizar a Lei Rouanet. Como até 4% do pagamento pode ser abatido, o negócio tem R$ 400 mil para investir em patrocínios e obter desconto de 100% desse valor na próxima declaração.

Em vez de destinar o montante para um só projeto, é conveniente criar 8 cotas de patrocínio de R$ 50 mil, por exemplo. Assim, o empreendimento poderá aproveitar melhor as oportunidades. Dependendo das necessidades, é viável criar mais cotas. Dá para estabelecer 10 cotas de R$ 20 mil, 5 de R$ 30 mil e 1 de R$ 50 mil, por exemplo. Desse modo, o negócio conseguirá investir em 16 projetos em vez de apenas 8.

Para fazer a definição, é fundamental pensar em quais são as propostas aprovadas que receberão os incentivos e quais são as suas possibilidades de orçamento. Normalmente, valores maiores oferecem benefícios ampliados, então, é interessante destinar cotas robustas para eventos mais atraentes.

Estabeleça os indicadores de desempenho

As políticas culturais da sua empresa não devem ter elementos imutáveis — afinal, os mercados de consumo e de cultura são muito dinâmicos. Portanto, é importante ficar sempre de olho nos resultados para entender de onde surgem os melhores efeitos.

Para que a avaliação seja objetiva, é essencial definir alguns indicadores de desempenho. Eles auxiliarão o acompanhamento e permitirão uma tomada de decisão estratégica, de modo a utilizar melhor os recursos.

No caso das redes sociais, por exemplo, vale a pena acompanhar o tráfego e o engajamento no período de execução do projeto. Dependendo dos resultados, dá para ter uma ideia do alcance das ações.

Também é oportuno monitorar questões como negócios fechados em eventos patrocinados ou novos contatos adquiridos nessas ações. Ao analisar a taxa de conversão e a entrada de oportunidades, é possível verificar a eficiência.

Dois indicadores que não devem ser ignorados são o ROI e o ROO. O primeiro é o retorno sobre investimento e corresponde à relação entre os lucros e os custos com o patrocínio. Quanto maior ele for, melhor é o desempenho. Já o retorno sobre objetivos (ROO) é ainda mais eficiente para mensuração do retorno sobre patrocínios, pois demonstra como o patrocínio ajudou a alcançar as metas predefinidas.

Definir esses indicadores faz com que a política cultural tenha um direcionamento oportuno, de modo a gerar benefícios para os artistas, público e empreendimento.

Conte com a ajuda de uma consultoria de patrocínios

Muitas empresas atuam de forma profissional em suas ações de vendas e comunicação, mas falham na hora de se posicionar como patrocinadoras. A dificuldade em avaliar e escolher os projetos e a falta de visibilidade sobre os resultados prejudica o sucesso das políticas culturais.

Para evitar que essas situações aconteçam e oportunidades sejam perdidas, o ideal é ter o apoio de uma consultoria de patrocínios. Com profissionais especializados e experientes no mercado, você terá o direcionamento certo para selecionar as melhores oportunidades de investimento cultural.

O apoio de uma assessoria do tipo também é válido para otimizar a política cultural que já existe e adaptá-la a novas necessidades. Ao final, há um ganho de eficiência e de performance em relação a essa parte tão importante.

Definir boas políticas culturais para a empresa é fundamental para o sucesso da abordagem. Com essas dicas, será mais fácil elaborar esse elemento e conquistar os resultados esperados!

Como ter ajuda faz toda a diferença nesse momento, entre em contato conosco e descubra o que podemos oferecer para seu negócio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos te ajudar?