Blog

Veja como as ações educativas podem ajudar seu projeto cultural

Veja como as ações educativas podem ajudar seu projeto cultural

 

Na hora de elaborar um projeto cultural, você deve pensar em vários elementos, como o objeto, a ficha técnica e o orçamento. Além disso, existe a possibilidade de contar com ações educativas.

Versáteis e capazes de gerar um alto impacto, elas são complementos importantes dos projetos. Em alguns casos, são obrigatórias e também podem ajudar na aprovação de sua proposta. Por isso, conhecê-las é muito relevante para conquistar um ótimo desempenho.

Quer entender melhor como tudo funciona? Então, continue a leitura deste post e explore o potencial dessas ações!

O que são as ações educativas em projetos culturais?

As ações de educação são medidas voltadas para instruir ou informar o público a respeito de uma questão cultural. Para que isso se concretize, existe um plano pedagógico próprio, que tem, como objetivo, consolidar um conhecimento específico.

Em geral, essas atividades são compostas por estudantes e/ou pessoas de baixa renda. Com isso, a sua execução é uma forma de aumentar a responsabilidade da elaboração.

De certo modo, são consideradas contrapartidas sociais. Ou seja, são um retorno voltado para o benefício da sociedade a partir da execução do projeto cultural. Ao mesmo tempo, é importante notar que elas não são a própria realização. Na verdade, são elementos “acessórios” que ajudam a complementar o que foi planejado.

Quais são as principais possibilidades?

Quando se fala em ações educativas, dá para recorrer a várias realizações. É sempre o proponente quem define quais são as ações que devem ser executadas, então, é possível explorar as melhores alternativas. Entre as opções, estão:

  • oficinas;
  • workshops;
  • cursos de curta duração;
  • mesas-redondas;
  • debates;
  • visitas monitoradas;
  • incentivo de certas práticas;
  • programas de conscientização;
  • promoção de eventos etc.

Imagine um espetáculo teatral voltado para o público infantil. Uma ação educativa para esse projeto cultural é a realização de oficinas e workshops de canto ou de interpretação nos palcos. As crianças participantes, então, podem ter acesso aos conceitos básicos do teatro e dar os primeiros passos nessa capacitação.

Já um evento de leitura, como uma feira de livros, pode realizar debates e mesas-redondas sobre temas importantes para a sociedade. Desde 2009, por exemplo, a Feira Literária Internacional de Paraty (FLIP) realiza ações na biblioteca da periferia da cidade para fomentar a leitura.

Mesmo um festival que tem uma proposta sustentável pode recorrer a essas ações. Realizar programas de conscientização sobre a importância do cuidado com a natureza cumpre muito bem o papel educativo.

Elas são obrigatórias para todos os projetos?

Em muitos casos, essas ações não são obrigatórias. Porém, ao recorrer às leis de incentivo, é preciso ficar atento ao que diz cada determinação.

No caso da Lei Rouanet, a maioria dos projetos não tem que apresentar esse tipo de contrapartida. No entanto, em alternativas anuais e plurianuais é obrigatório prever a abordagem.

A lei determina o tamanho das ações. Em média, é necessário atender a 10% do público geral, com limite de 500 pessoas. Uma peça para 1.000 espectadores, por exemplo, deve ter ações educativas para 100 pessoas, no mínimo. Já um festival com capacidade para 15.000 participantes precisa atender apenas a 500 indivíduos. O mínimo é de 20 participantes.

Além disso, é essencial que 50% das vagas estejam destinadas a professores e estudantes de instituições públicas. Isso garante acessibilidade e atuação social.

Quais são as vantagens para o seu projeto cultural?

Mesmo quando não são obrigatórias, as ações educativas são muito vantajosas para a realização de um projeto cultural. Ao conhecer os principais benefícios, você entenderá por que recorrer a essa alternativa.

Geram destaque na análise

As contrapartidas sociais são elementos obrigatórios para obter a aprovação do projeto cultural em leis de incentivo. Nos editais de apoio à cultura, como os oferecidos por empresas privadas, elas também são muito bem-vindas.

Ao apresentar ações de educação, portanto, você faz com que a sua proposta ganhe muitos pontos na avaliação. Mesmo quando elas não são obrigatórias, demonstram comprometimento e trazem vantagens extras para a realização. Então, é possível conseguir a aprovação com menos esforços, de modo a viabilizar a sua proposta.

Aumentam a atratividade de patrocinadores

Os patrocinadores buscam projetos que tragam valores aos quais possam se associar. A educação é um valor universal, que faz sentido para qualquer tipo de empresa e objetivos. Ou seja, todo empreendimento deseja se associar à ideia de educação e de aprendizado.

Com as ações nesse estilo, o seu projeto consegue captar apoiadores com maior facilidade. Demonstrar que a empresa apoiará não apenas a realização cultural, mas, também, as ações de educação, é um argumento e tanto. Com um ampliado poder de convencimento na hora de obter apoio, fica fácil captar os recursos para tornar tudo possível.

Contam com características próprias

Em qualquer caso, mesmo quando ela é obrigatória, a ação educativa é feita à parte. Então, há uma elaboração pedagógica e orçamentária específica para garantir que a atividade possa ser executada.

Isso é muito importante porque esse tipo de realização não afeta negativamente o dinheiro destinado ao objeto cultural principal. Uma peça de teatro, por exemplo, não terá que ser feita com um orçamento reduzido se forem realizadas oficinas ou palestras. Os recursos são obtidos à parte, o que garante que ambos os pontos possam ser executados com facilidade.

Exercem impacto positivo na sociedade

A educação tem um papel altamente transformador. Somente por meio do ensino é possível obter a resolução de várias questões, além de garantir a conscientização das pessoas e de despertar o interesse sobre temas diversos. Então, quando o seu projeto cultural conta com ações educativas, ele tem o seu poder de impacto multiplicado.

Trabalhar com alunos de instituições públicas ou com parte a população carente permite mudar, positivamente, os rumos da sociedade. Para o proponente, trata-se de algo que gera um nível muito elevado de satisfação e a sensação de missão cumprida.

As ações educativas ajudam os projetos culturais em vários aspectos. Eles ganham destaque, se tornam mais atrativos e, enfim, conquistam um impacto ainda maior na sociedade. Que tal incluir essa alternativa na sua próxima proposta?

Se este artigo foi útil para você, compartilhe-o em suas redes sociais e aproveite para debater o tema com os seus contatos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos te ajudar?