Blog

7 práticas para unir sustentabilidade e cultura em seu evento

7 práticas para unir sustentabilidade e cultura em seu evento

Diante da exploração dos recursos naturais, os consumidores e as empresas têm se preocupado cada vez mais com a sustentabilidade. Cerca de 95% dos brasileiros pesquisados acreditam que o meio ambiente deve ganhar relevância nos próximos anos. Além disso, 90% afirmaram ter, no mínimo, alguma atenção com questões ambientais durante a compra. Nesse cenário, vale a pena pensar em unir sustentabilidade e cultura.

Aliar esses aspectos faz com que os eventos sejam ainda mais relevantes. Além de atraírem o público, facilitam a captação de patrocinadores e a oferta de contrapartidas. Ao permitir o aumento da Responsabilidade Social Corporativa (CSR), por exemplo, a produção fica especialmente interessante.

Para unir essas questões, é possível utilizar algumas práticas eficientes. Na sequência, conheça 7 delas e veja como agir!

1. Leve em conta o tripé da sustentabilidade

A sustentabilidade não se relaciona apenas ao fator ambiental. Para que ela se concretize, há três esferas que devem ser trabalhadas, no chamado tripé da sustentabilidade. Os pilares são os seguintes: ambiental, social e financeiro.

Não há dúvidas quanto à abordagem ambiental. É preciso reduzir ou eliminar impactos negativos na natureza. O seu evento tem que se preocupar com fatores como geração de resíduos, emissão de CO2 e uso de matérias-primas para atender a esse aspecto.

Em seguida, há a abordagem social. Nesse sentido, é essencial na comunidade do entorno e, também, nas pessoas envolvidas na execução do projeto. Um evento sustentável, portanto, tem que cuidar para que todos os funcionários e parceiros tenham condições adequadas de trabalho. Quanto à comunidade, é essencial dar atenção à responsabilidade social.

O terceiro pilar é o financeiro. Ou seja, é possível adotar as medidas anteriores e obter lucro do mesmo jeito. Então, o seu evento pode ser sustentável e, ainda assim, cobrar ingressos ou realizar a venda de produtos no local. Com um faturamento adequado, os objetivos são cumpridos.

2. Conte com parcerias de artistas engajados

Não basta apenas dizer que o evento traz a união de sustentabilidade e cultura. É preciso demonstrar isso em todos os aspectos — inclusive, na ficha técnica e na escolha das atrações.

O ideal é selecionar artistas engajados com o tema, pois é algo que transmite credibilidade e compromisso com a questão. Quando a intenção é reforçar esse conceito, as parcerias certas ajudam a atingir os objetivos.

Na música, a banda Pearl Jam é um grande exemplo. Durante uma turnê, o grupo doou 100 mil dólares para 9 organizações sobre energia renovável e mudanças climáticas. Também já deu apoio a ONGs comprometidas em preservar a floresta tropical de Madagascar.

O Lollapalooza, por exemplo, preocupa-se com o tema e atua com neutralidade de carbono. Com a escolha da banda como headliner em edições anteriores, o festival conseguiu aproximar a questão da cultura.

3. Adote políticas sustentáveis durante as etapas

Desde o planejamento até a execução, é interessante definir algumas políticas de sustentabilidade. A intenção é fazer com que o evento seja o mais verde possível, de modo a reforçar o posicionamento.

No planejamento, vale a pena, por exemplo, definir medidas de coleta de lixo para a realização. Distribuir lixeiras com abordagem seletiva é uma possibilidade. Também dá para firmar parcerias com empresas de reciclagem, de modo a destinar os recursos adequadamente.

Na execução, vale a pena tomar cuidado com os desperdícios de materiais e até com o uso de máquinas inadequadas. Se for preciso montar um grande palco, é melhor utilizar recursos com combustíveis sustentáveis.

Dependendo o tamanho do evento, pense na aquisição de créditos para neutralizar o carbono emitido ou até em fontes alternativas de energia. O Lightning In A Bottle é considerado o festival mais verde dos Estados Unidos. Isso se deve à utilização de materiais reciclados na construção dos palcos e no uso de energia limpa, como a solar. Ao se inspirar nessa alternativa, é possível aliar sustentabilidade e cultura.

4. Escolha os patrocinadores certos

Para que o projeto ganhe vida, é preciso dispor dos recursos necessários, o que significa contar com um bom número de patrocinadores. No entanto, se a sustentabilidade é uma preocupação, tome cuidado com algumas escolhas.

Antes de fazer uma proposta de patrocínio para qualquer empresa, faça uma seleção adequada. Encontre quais são os patrocinadores que realmente se envolvem com a sustentabilidade e que podem agregar ao oferecer suporte. Afinal, não adianta ter todas as práticas adequadas e receber o apoio de uma empresa que se envolveu recentemente em um desastre ambiental, por exemplo.

Para que a transferência de valores ocorra de forma positiva, os negócios apoiadores também devem ter as próprias políticas. O Secret Solstice acontece na Islândia e é considerado um dos mais sustentáveis do mundo. Entre os patrocinadores, há a Coca-Cola, que tem a sustentabilidade como um de seus valores, como em relação à economia de água. Então, a parceria é bem-vinda porque ajuda a consolidar o conceito.

5. Estimule as boas práticas no público

Para aumentar o impacto positivo no planeta, vale a pena desenvolver ações voltadas para o público e para a conscientização. Estimular certas práticas e demonstrar o valor de fazer algumas mudanças permite que as pessoas apliquem a sustentabilidade no cotidiano.

Pode ser o caso de realizar ações educativas. Elas tornam o projeto ainda melhor e, inclusive, atendem a certos requisitos de leis de incentivo. Palestras, exposições e demais ações fazem com que as pessoas entendam o valor do cuidado com o meio ambiente.

Também dá para investir em estimular certas práticas, como o uso do transporte público ou até de bicicletas. O Rock In Rio, por exemplo, favorece a mobilidade urbana ao oferecer ônibus até o lugar. Desse jeito, há uma redução na emissão de gases poluentes dos carros.

6. Cuide da acessibilidade do local

Como visto, para aliar sustentabilidade e cultura não é preciso se preocupar apenas com a questão ambiental. O impacto social também deve ser positivo e um dos jeitos de chegar a esse efeito é por meio da acessibilidade.

Vale a pena pensar em criar um espaço que é facilmente explorado por indivíduos em várias condições, como pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção. A acessibilidade também pode ser oferecida por meio de ingressos sociais e com valor menor — o que ainda atende a requisitos de leis de incentivo, como a Lei Rouanet.

O Sound of Music Festival, de Burlington, já ganhou um prêmio verde pela preocupação com o meio ambiente. Além disso, tem ações de acessibilidade, como entradas diferenciadas, estacionamento adaptado, rampas e mais.

7. Aposte nos meios digitais

Diminuir o uso de papel é uma ótima forma de melhorar o nível de sustentabilidade. Além de reduzir a exploração de recursos ambientais, também é algo que limita a geração de resíduos. Então, a sua realização pode se preocupar com tal aspecto.

Um dos jeitos de fazer isso é apostar nos meios digitais e na tecnologia, em geral, para executar a divulgação. Utilizar as redes sociais, adotar a tecnologia e até substituir ingressos físicos por opções verdes são escolhas que ajudam nesse sentido. Ainda que pareça uma pequena medida, é uma mudança capaz de gerar um grande impacto.

Aliar sustentabilidade e cultura em seu projeto cultural é uma excelente escolha. Além de aumentar a atratividade para patrocinadores e para o público, é um modo de gerar efeitos positivos na sociedade e no meio ambiente por meio da arte.

Para viabilizar todas essas questões, veja como conseguir patrocinadores com 6 dicas imperdíveis!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como podemos te ajudar?