Blog

Patrocinadores, apoiadores e parceiros em projetos culturais: quais as diferenças?

Patrocinadores, Apoiadores e Parceiros em projetos culturais: quais as diferenças?

Na hora de realizar seu projeto cultural, não é preciso fazer tudo sozinho. É muito importante contar com o suporte correto, já que as pessoas e as instituições adequadas tornam mais fácil a execução das etapas. Nesse sentido, surgem os patrocinadores, os apoiadores e os parceiros.

Com frequência, eles são considerados como sinônimos. Porém, cada um tem uma função e um conjunto de vantagens. Então, é essencial saber o papel deles e, mais que isso, entender como obtê-los.

A seguir, confira quais são as diferenças entre esses termos e como obter cada um para o seu projeto cultural.

O que é um patrocinador e quais são suas vantagens?

O patrocinador é o principal responsável por viabilizar a realização cultural em todas suas etapas. Trata-se de uma pessoa física ou empresa que investe dinheiro no projeto em troca de contrapartidas ou benefícios.

Com o uso de uma lei de incentivo, há um abatimento de impostos. Então, esse é um argumento para obter o patrocínio. Contudo, há outras contrapartidas, como naming rights, aumento de reconhecimento de marca e de fidelização dos clientes e assim por diante.

Um ponto importante é que o dinheiro dos patrocinadores é utilizado para viabilizar todo o projeto. Imagine um patrocinador que oferece R$ 100 mil para uma produção teatral. Esse montante será usado em diversas etapas previstas no orçamento, como pagamento dos artistas, aluguel do espaço, contratação de figurino etc.

Outro aspecto é que o patrocinador nunca é remunerado. Na hora de prestar as contas, quem patrocina não ganha nenhum dinheiro em troca. Como mencionado, o que ele recebe são as contrapartidas previstas na proposta de patrocínio.

O que é um apoiador?

Por sua vez, o apoiador é diferente, pois caracteriza-se por ser uma pessoa ou empresa que oferece uma ajuda estratégica para que o projeto consiga ser concretizado em uma fase específica. Não existe a exigência de haver algo em troca, então a relação é distinta.

Pense em uma mostra literária. O apoiador pode ser uma empresa que disponibiliza o local para a realização do evento ou mesmo que oferece a comida gratuitamente. Trata-se de uma ajuda estratégica para garantir o alcance de objetivos específicos. Como retorno, é possível incluir a marca na listagem de apoiadores, o que leva a uma divulgação entre o público de interesse.

Numa peça de teatro, o apoio pode vir por conta de um cenógrafo que, inicialmente, trabalha de graça. Assim sendo, ele pode ser visto como alguém que acredita na sua realização e apoia com a própria capacidade técnica. Caso a cenografia esteja prevista no orçamento em determinado ponto, ele pode ser remunerado.

O que é um parceiro?

É muito comum que os parceiros sejam confundidos com apoiadores ou mesmo com patrocinadores. No entanto, há uma diferença principal: na parceria, é frequente que cada um dê alguma coisa em troca.

Em geral, a oferta é de brindes, de produtos ou de serviços específicos. Um restaurante pode ser o parceiro de uma mostra de cinema, por exemplo. Para tanto, oferece alimentação gratuita para a equipe e descontos para o público. Em troca, recebe a divulgação para que as pessoas usem a condição exclusiva. Assim, há ganhos para ambos os lados.

Também é o caso de uma empresa esportiva que oferece brindes para uma corrida de rua. Nesse cenário, a própria divulgação da marca já serve como um elemento de parceria e garante benefícios para as duas partes.

Como conseguir cada um deles?

Agora que você conhece as diferenças entre patrocinadores, apoiadores e parceiros, é fundamental entender como obter cada um. Um projeto cultural, inclusive, pode ter as três configurações, o que aumenta as chances de sucesso. Quer descobrir como conquistar cada um? Veja a seguir!

Patrocinadores

Para atrair patrocinadores, é essencial ser capaz de oferecer algo relevante e que gere retorno para o investimento feito. Então, uma das primeiras possibilidades consiste em garantir a aprovação da realização em uma lei de incentivo. Nesse caso, quem patrocina pode descontar o valor investido dos impostos na declaração seguinte. Na prática, o apoio sai de graça.

Pense na Lei Rouanet. As empresas podem abater até 4% do Imposto de Renda, então um negócio cuja declaração tem o valor de R$ 10 milhões por ano consegue apoiar com até R$ 400 mil. No ano seguinte, o valor pago na declaração de IR será de R$ 9,6 milhões.

A aprovação para captação também pode ocorrer com outras leis, como a Lei do Audiovisual ou do ProAc SP. Tudo depende do tipo da realização e da localidade de atuação.

Após obter o sinal verde do órgão competente, é hora de partir para a captação. Crie uma boa proposta de patrocínio, com contrapartidas específicas para cada empresa. Selecione as mais indicadas para o público que será alcançado e apresente os motivos que tornam o investimento tão vantajoso. Não desista no primeiro “não” e continue até obter o valor necessário.

Outro jeito de captar patrocinadores é por meio dos editais de cultura. Eles são criados por empresas específicas, as quais selecionam os melhores projetos e oferecem os recursos. É hora de caprichar para conseguir a aprovação e os valores necessários!

Apoiadores

A fim de conquistar apoiadores, é preciso ir atrás das pessoas ou das empresas certas. Vale a pena perguntar para outros produtores culturais se têm alguma indicação sobre quem, normalmente, oferece esse suporte.

Olhe também para sua rede de contatos. Às vezes, há profissionais que desejam incrementar o portfólio ou envolver-se com alguma ação. Dependendo da situação, eles podem ser remunerados de acordo com o orçamento.

Entre as empresas, busque aquelas que se beneficiam com a exposição de marca. Procure também as que têm um histórico de se envolver com ações culturais e que buscam ter maior responsabilidade social. Lembre-se: não custa solicitar o apoio, então você deve tentar.

Parceiros

No caso dos parceiros, é crucial refletir sobre o que sua realização tem a oferecer, além das contrapartidas tradicionais ou do pagamento. Pense em como seu evento pode auxiliar um empreendimento e como essa relação de troca é estabelecida.

Na hora de obter brindes, por exemplo, é muito importante avaliar como eles serão distribuídos e que tipo de benefícios trarão para o público e para a marca parceira. Tome cuidado para selecionar apenas quem realmente for estratégico e ajudar sua realização.

Em todas as etapas, ter um projeto bem estruturado e boas propostas é indispensável. Com o apoio de uma empresa especializada no ramo, será mais simples conquistar o suporte para a realização.

Com patrocinadores, apoiadores e parceiros, seu projeto cultural tem tudo para ser um grande sucesso. Agora que você conhece as características de cada um, será mais fácil conquistá-los para viabilizar sua realização.

Já que ter suporte especializado é tão importante nessa fase, entre em contato com a Arte em Curso e descubra como podemos facilitar os processos para você!